Perguntas e Respostas Frequentes

Quem é o líder da UCOP BRASIL?

Não existe um líder. Existe uma liderança; um grupo de estrategistas civis e militares, da reserva e da ativa, inclusive das Forças Armadas Brasileiras, com alto conhecimento sobre a realidade brasileira, que fazem o planejamento estratégico para que esta ação tenha um resultado positivo com a conquista real do objetivo traçado. Por motivos óbvios, muitos dos membros da UCOP BRASIL ficarão no anonimato. Temos um porta-voz, que é André Basílio, um dos integrantes da página O Brazil de Fora do Brasil.



A UCOP apoia qual partido político?

Somos apartidários. Somos contra todos os partidos políticos que estão no poder. Somos contra o Fundo Partidário que doa dinheiro do contribuinte aos partidos políticos, e temos a límpida consciência de que não somos governados por partidos políticos, e sim pela maior organização criminosa que já existiu no mundo, que se enraizou como um câncer em todas as esferas do poder no Brasil, estando todos estes partidos coniventes e responsáveis pelo maior roubo da história da humanidade!



Como será a ida até Brasília?

Formaremos caravanas para saírem de várias capitais do Brasil. Mas não ficaremos presos somente a ônibus fretados. Iremos também, em dias diferentes, de avião e de ônibus de linhas convencionais, com passagens compradas normalmente como qualquer cidadão. Isso evitará que o governo consiga fazer um cerco para nos barrar nas estradas. Se o governo ousasse parar todos os ônibus com destino a Brasília, por exemplo, ele estaria infringindo o direito constitucional de ir e vir de todo cidadão brasileiro, o que daria ainda mais motivo ainda para a derrubada do governo devido à inconstitucionalidade e totalitarismo ditatorial do governo.



Como será feita a ocupação?

1) Alguns participantes entrarão com a mesma estratégia utilizada quando houve a Ocupação do Congresso Nacional em 16/Nov/2016, porém com um número absurdamente maior de pessoas.
2) Antes da viagem, todos os participantes receberão instruções sobre como proceder em cada momento recebendo inclusive orientações sobre o que falar com a imprensa no caso de serem entrevistados. Precisamos todos falar a mesma língua e cada um saber o objetivo da nossa ação.
3) No dia da ocupação, os líderes de grupos (pessoas que conhecemos e serão escolhidas a dedo) receberão uma mensagem instantânea com informações específicas sobre como agir em momentos específicos, enquanto os demais aguardam segunda ordem.
4) No momento da ação, estando todos em frente ao Congresso Nacional, será dada uma rápida instrução do que deverá ser feito por todos naquele exato momento para ocuparmos o Congresso Nacional.



Acamparemos em frente ao Congresso Nacional?

Nosso intuito é acamparmos DENTRO do Congresso Nacional. Com uma área interna de quase 200 mil metros quadrados de área construída, cabem quase 200 mil pessoas dentro do Congresso. Os demais podem acampar nos mais de 200 mil metros quadrados de áreas verdes externas do Congresso.



Esta ocupação será realizada com violência?

Não. Nossa ação não consiste em atos violentos. A Ocupação do Congresso Nacional deverá ocorrer de forma pacífica até mesmo para não perdermos a razão. Nada deverá ser danificado no interior do Congresso Nacional. Arruaceiros e baderneiros não são bem-vindos na nossa ação.



Por que não se mantém segredo sobre esta ocupação?

Precisamos colocar 500 mil pessoas em Brasília. Não conseguiríamos reunir tanta gente numa única data secretamente para a Ocupação do Congresso Nacional.



A ocupação do Congresso Nacional poderá ocorrer com um número inferior a 500 mil pessoas?

Para que a nossa ação tenha LEGITIMIDADE, precisamos de um grande número de participantes, para que possamos agir dentro do princípio da LEGALIDADE. Para que consigamos efetuar uma ocupação do Congresso Nacional com maior probabilidade de êxito, deveríamos efetuar a ocupação com um número próximo de 500 mil pessoas. Mas, podemos realizar uma alteração na estratégia para diminuir esse número caso não consigamos o número suficiente de patriotas dispostos a lutar pelo seu país. Outra forma que existe de podermos diminuir drasticamente esse número é caso consigamos o apoio de um grande número de policiais militares e das Forças Armadas do Distrito Federal. Juntos, eles formam um contingente de 30.000 soldados. Se conseguirmos o apoio da metade deles, precisaríamos da metade do nosso contingente para realizarmos a ocupação. De toda forma, em caso de mudança no número total de participantes, todos os inscritos serão avisados.



Quantos dias deverá durar a ocupação?

Tentaremos fazer com que a necessidade da ocupação para a queda do governo seja o mais breve possível. O mais importante é impedirmos os “trabalhos” parlamentares na terça, quarta e quinta-feira para forçarmos a derrubada imediata deste governo que não nos representa. Mesmo assim, a ação pode durar mais de 3 dias. Não tem data exata para acabar.



Haverá Intervenção Militar após a ocupação?

Não podemos afirmar. Isso depende de diversos fatores. Se um dos comandantes militares fizer a intervenção, tudo fica mais fácil para que os bandidos que estão no poder sejam presos. Mas, se nenhum dos três fizer (Marinha, Exército e Aeronáutica), para que haja uma intervenção militar contra a vontade dos comandantes militares, seria preciso que houvesse quebra de hierarquia e insubordinação. Um coronel ou general de menos estrelas precisaria tomar as rédeas de uma das Forças Armadas juntamente com seus subordinados, e talvez até prender seus superiores caso eles estejam sendo omissos em seus cargos sendo coniventes com os bandidos do governo e estando cometendo crime de traição à pátria. Porém, caso esta quebra de hierarquia não seja bem sucedida, estes militares seriam presos e poderiam ser até mesmo condenados à morte de acordo com o Código Militar. Portanto, ocorrer a intervenção militar no Brasil é algo extremamente complexo que depende de vários fatores, de várias situações e de várias pessoas. O importante é que nós, cidadãos de bem, não fiquemos parados. Façamos a nossa ação como cidadãos com ou sem intervenção militar! O primordial é conseguirmos derrubar o governo, seja com Intervenção Militar ou com uma Intervenção Popular através de uma Desobediência Civil!



Quantas pessoas já se inscreveram para a ocupação?

Você pode conferir o número de inscritos e os gráficos estatísticos referentes às respostas acessando o site www.ucopbrasil.com.br e acessando a opção de "Estatísticas". O número de inscritos será igual ao número de respostas que aparece junto ao primeiro gráfico estatístico. Se você estiver acessando de um computador, pressione Ctrl+F5 nesta tela para receber a última atualização dos gráficos estatísticos.



Por que os gráficos estatísticos referentes às inscrições não são atualizados em tempo real no site?

Porque há uma limitação no sistema que utilizamos. Para que a exibição ocorresse em tempo real, o sistema simplesmente mostraria não só os gráficos estatísticos, mas também todos os dados respondidos, inclusive o nome dos participantes. Por isso, não podemos permitir uma exibição das respostas em tempo real, sendo necessária uma interação humana para exibir cada gráfico estatístico, salvá-lo como arquivo e publicar cada arquivo de cada gráfico, um por um, no site. Devido a esse trabalho manual, a atualização dos gráficos não ocorre todos os dias.



Por que, nos gráficos estatísticos, algumas perguntas possuem maior número de respostas que outras perguntas?

Algumas respostas são obrigatórias; outras não. Isso já responde parte do questionamento. Mas, acontece também que algumas perguntas foram introduzidas apenas após um certo tempo que este sistema já estava no ar, com vários questionários já respondidos. Por isso, há essa diferença numérica. Outro ponto é que, cada participante que preencheu o questionário antes da adição das novas perguntas, pode clicar no link que ele recebeu para que ele possa modificar as suas respostas e, inclusive, responder à nova pergunta que não existia antes no primeiro formulário que ele preencheu. Por isso, algumas perguntas terão mais respostas que as outras. Depende muito de quem as respondeu ou não.